CIÊNCIA E TECNOLOGIA




Brasil é 3º país em ranking internacional de aquecedores solares

Sustentabilidade

Estudo da Agência Solrico aponta país como um dos destaques mundiais em aquecedores solares instalados, atingindo área de 12,4 milhões de m2 em 2015

Revista Amazônia
foto - ilustração
Neste Dia Internacional do Sol, 3 de maio, o segmento de aquecimento solar no Brasil comemora desempenho de destaque no cenário mundial. Entre 2010 e 2015, o setor teve um crescimento de 8% no país, ocupando a 3ª posição no ranking mundial, ficando apenas atrás de China e Turquia. Em 2015, o país ocupou a segunda posição em volume físico de produção. Os dados são da agência alemã Sol Rico, que apurou os dados de 18 países.
Segundo a última pesquisa do DASOL – Departamento Nacional de Energia Solar Térmica, da ABRAVA, em 2015, foram produzidos 7.968 GWh de energia, com 12,4 milhões de metros quadrados acumulados de área instalada. São cerca de 6 milhões de residências que já dispõem do equipamento. Para se ter uma ideia, a capacidade de produção de energia dos sistemas solares instalados hoje no Brasil seria capaz de atender ao consumo de toda a classe comercial brasileira, durante um mês.
“Mesmo com a descontinuidade do programa Minha Casa Minha Vida e a crise que ocasionaram um decréscimo de 2,7% na produção em 2015, nosso setor ainda se mantém como destaque internacional”, afirma o presidente do DASOL Amaurício Gomes Lúcio. “O país está passando por uma fase difícil, mas nosso papel como entidade é elaborar estratégias para fortalecer o setor e ajudá-lo a crescer. O desfecho de uma solução política para o País, seja ela qual for, permitirá uma melhor noção da economia e uma consequente retomada nas obras, tanto para manutenção quanto daquelas que ficaram paradas. Estamos otimistas”, acrescenta.

Economia silenciosa
Para Marcelo Mesquita, secretário executivo do DASOL, os 12 milhões de m² instalados já promovem uma economia silenciosa que os sistemas de aquecimento de água instalados em vários segmentos representam. “Por exemplo, a maior parte do consumo de energia de uma casa vai para aquecer a água do banho e, portanto, o chuveiro deve ser o primeiro item em uma ação de medida de economia de energia. Pode-se ter uma economia de até 40% na conta com a instalação de um sistema desse tipo, com retorno do investimento em cerca de 2 anos, que é relativamente barato quando comparado com outras formas de energia limpa. Quando o consumidor tem acesso a esta informação, a procura aumenta”, diz.
A energia solar térmica tem sido inclusive apontada pelos projetistas como uma grande alternativa para melhorar o payback (retorno sobre o investimento) de projetos com o sistema fotovoltaico, ainda considerado caro para a maioria dos brasileiros. Como a energia solar térmica é muito mais barata que a fotovoltaica, um projeto que contemple as duas tecnologias torna-se uma combinação mais atrativa”, esclarece Mesquita.
Pensando nisso, a entidade está desenvolvendo um estudo com foco em eficiência energética, que será publicado ainda no primeiro semestre do ano, com o intuito de apontar a melhor solução para a energia solar no País. O presidente da ABESCO – Associação Brasileira das Empresas de Serviço de Conservação de Energia, Alexandre Moana, defende que antes de se instalar um sistema fotovoltaico, deve-se optar primeiramente pelo solar térmico. Grande parte da energia, cerca de 40%, já é compensada. Em seguida, deve-se pensar no fotovoltaico, para atender ao restante da demanda da casa. “Estamos juntos com o DASOL da ABRAVA para a construção deste modelo ideal, que une o solar térmico e o fotovoltaico para uma solução precisa”, acrescenta.

Dados de mercado
O gráfico a seguir apresenta a evolução do mercado de aquecimento solar brasileiro nos últimos anos:
A pesquisa do DASOL abordou a produção de coletores solares classificados por tipos: aberto, fechado e a vácuo. Os coletores abertos são normalmente utilizados para piscinas, pois não possuem cobertura transparente e nem isolamento térmico. Os coletores fechados planos e de tubo a vácuo são utilizados para fins sanitários. Os abertos representam hoje 43,5% dos instalados; os fechados 54,7% e os a vácuo 1,8%. Em 2015, houve decréscimo dos coletores abertos de 5,3% e nos coletores fechados foi 1,8 %. Os coletores de tubos de vácuo, apresentaram crescimento expressivo de 57,9%.

foto - ilustração/arquivo
Vendas por segmento e regiões
Em 2015, o segmento residencial teve destaque no mercado de aquecedores, com 54% do total, seguido pelos programas habitacionais de interesse social e comércio e serviço ambos com 20%, e pela indústria, que registra 6% de participação. Entre as regiões brasileiras, o Sudeste aparece em primeiro lugar com a maior demanda por aquecedores solares com 61,08% das vendas, seguida pelo Sul (15,75%), Centro-oeste (13,57%), Norte (5,93%) e Nordeste (3,68%).
A maioria das empresas do setor está otimista quanto a 2016. Considerando o planejamento das vendas de coletores solares (fechado, aberto e a vácuo) para o ano, a expectativa para grande parte dos fabricantes é crescer entre 16% e 20%.

3 de maio, Dia Internacional do Sol
Esta semana, comemoramos o Dia Internacional do Sol, iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em parceria com a NASA, para valorizar esta importante estrela, responsável pela existência e manutenção da vida na Terra.
As plantas utilizam o Sol para seu ciclo de fotossíntese, transformando energia luminosa em química; ele também é fundamental para o ciclo da água, uma vez que oferece calor para que ela evapore e os seres vivos transpirem. Para os seres humanos, é essencial para produzirmos a vitamina D, por meio da exposição aos seus raios, fortalecendo os ossos e aumentando a imunidade.
Do ponto de vista energético e econômico, o Sol vem a cada dia, ampliando sua importância , utilizado como fonte de energia alternativa limpa, abundante e renovável, há mais de um século aplicada diretamente no uso dos sistemas de aquecimento de água. Com o avanço tecnológico, novas oportunidades de aproveitamento solar estão surgindo, como é o caso da fotovoltaica e das usinas heliotérmicas de geração concentrada de energia.
O Dia Internacional do Sol é, portanto, uma data comemorativa muito importante para o DASOL, fundamental para disseminar a toda a sociedade os benefícios que as tecnologias, associadas ao Sol, oferecem para o conforto e economia dos brasileiros, bem como para a sustentabilidade no planeta.

Sobre o DASOL
O DASOL – Departamento Nacional de Energia Solar Térmica da ABRAVA representa oficialmente, em todo o Brasil, o setor de aquecimento solar de água com o objetivo de promover, divulgar e desenvolver a adoção da energia solar térmica. Desde 1992, apoia a formação de uma rede de atuação formada por empresas (fabricantes, revendas, instaladoras, consultorias e projetistas), instituições, universidades, órgãos do governo, ONGs e cidadãos em busca do desenvolvimento sustentável do Brasil através da aplicação e utilização responsável de energia solar térmica. Os programas e atividades da entidade têm abrangência em todo o Brasil, alguns deles desenvolvidos junto à Eletrobras/Procel e ao Inmetro, e estão acessíveis a todos que de alguma forma utilizam a energia solar térmica de forma eficiente e como solução para geração de energia.
Fonte - Revista Amazônia 04/05/2016


Curiosidades Micropress - Veículo movido a ar comprimido




Água da chuva filtrada





"A imensidão dos mares é menos investigada do que superfície da Lua", diz pesquisador

Ciência

Exposição alemã na USP destaca importância da preservação dos oceanos para a humanidade.

RA

A mostra científica Future Ocean chega a São Paulo, após grande sucesso em Fortaleza, Rio de Janeiro e Natal. Há módulos sobre o futuro dos mares abordados de forma que interessem tanto a cientistas quanto ao público em geral, inclusive crianças, e a entrada é gratuita.
A exposição exibe os resultados de pesquisas interdisciplinares realizadas pelos cientistas de Kiel, na Alemanha, sobre as mudanças pelas quais os ambientes marinhos vêm passando nos últimos anos. Eles estudam as alterações desses ecossistemas e suas consequências para humanidade em parceria com colegas de vários países, inclusive do Brasil.
Na exposição, um globo terrestre em alto relevo recepciona os visitantes. Em seguida, os módulos explicam a acidificação dos oceanos e seus impactos para os organismos marinhos, gestão sustentável da pesca, monitoramento dos oceanos e de suas correntes, elevação dos mares e gestão de zonas costeiras, exploração de recursos minerais e acúmulo de lixo nos mares, sobretudo plásticos.
O acervo reúne rochas raras retiradas de ambientes a mais de quatro mil metros de profundidade, como nódulos de manganês, hidratos de metano congelado – substâncias inflamáveis que poderão servir de fonte energética no futuro – e fumarolas negras, verdadeiras chaminés submarinas que ajudam a formar estruturas ricas em minérios.
A mostra conta com vídeos, miniatura de um submarino científico e módulos interativos, que permitem aos visitantes, por exemplo, avaliar as graves consequências da pesca predatória e do lixo nos mares, bem como QR Codes para baixar informações adicionais em telefones celulares.
Segundo os pesquisadores, os mares constituem o maior espaço vital do planeta Terra. “Sabemos que eles exercem uma função-chave para a nossa existência. Sua imensidão, porém, é menos investigada do que a superfície da Lua. Esse fato, portanto, revela a importância da pesquisa oceanográfica para nosso futuro”, diz Marcio Weichert, coordenador do Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo (DWIH-SP).
Durante a mostra, haverá também sessões de palestras científicas e sobre programas de bolsas e fomento para estudos e pesquisas na Alemanha. Uma discussão entre cientistas e sociedade civil (Future Ocean Dialogue) também está sendo preparada. As datas e horários estão no site do DWIH-SP.
A mostra, que integra a agenda do jubileu de 80 anos da USP, poderá ser visitada no Museu Oceanográfico da Universidade de São Paulo de 25 de setembro a 18 de outubro.
Museu Oceanográfico IOUSP - Praça do Oceanográfico, 191 - Butantã, São Paulo
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 16h

Entrada franca
Informações e agendamento de grupos: (11) 3091-6587 / 3091-7149 ou museu.io@usp.br
Fonte - Revista Amazônia  19/09/2014


Carro híbrido movido a hidrogênio emite água potável

Tecnologia

RA
Confira como funciona o novo mecanismo
Com a ideia de evitar qualquer tipo de emissão de poluentes por meio de combustíveis, a fabricante japonesa Honda vem desenvolvendo, desde 2008, um veículo abastecido por hidrogênio, o FCX Clarity.
Em vez de soltar poluição, o carro, por incrível que pareça, emite apenas água pelo escapamento. Isso é possível devido ao uso da célula de combustível, que é uma célula eletroquímica em que são consumidos um agente redutor (combustível) e um agente oxidante (comburente, com o objetivo de gerar energia elétrica (fonte). No modelo da Honda, eles utilizam como reagente o hidrogênio e o oxigênio.
Para mostrar como o modelo funciona, a fabricante montou uma ação em que a água gerada a partir do escapamento do FCX foi distribuída para pessoas em sessões de cinema e eventos. Confira na íntegra:
Fonte - Revista Amazônia  02/07/2014


Roteador via satélite leva internet a qualquer lugar do mundo

Tecnologia

Redação Olhar Digital
Foto: Divulgação 
Imagine poder acessar a internet em praticamente qualquer lugar do mundo, incluindo pontos no meio do oceano, geleiras, montanhas ou florestas. Tudo isso sem ter de pagar por um plano de dados, basta estar em uma área onde o sinal do satélite seja alcançável.
Essa tecnologia já existe e será posta à venda em breve pela Iridium no roteador portátil Go. Ele não será barato, algo em torno de US$ 800, segundo a Folha de S.Paulo - o equivalente a R$ 1,9 mil. Mas compensa pelo tipo de serviço oferecido.
O pequeno Go é à prova d'água e resiste a pancadas leves. Para acioná-lo basta levantar sua antena, criando uma rede Wi-Fi com alcance de 30 metros. Então até cinco dispositivos podem ser conectados simultaneamente.
O lançamento está previsto para este primeiro semestre.
Fonte - Olhar digital   06/02/2014


Cargueiro espacial Albert Einstein se desintegra como previsto

Ciência

AFP - Agence France-Presse

Cargueiro espacial Albert Einstein (ATV-4) se desintegrou como o esperado durante a sua reentrada na atmosfera em uma região desabitada do Pacífico Sul
O cargueiro espacial europeu Albert Einstein (ATV-4) se desintegrou como o esperado durante a sua reentrada na atmosfera neste sábado (2) em uma região desabitada do Pacífico Sul, anunciou a Agência Espacial Europeia (ESA). A nave de abastecimento europeia foi desacoplada na segunda-feira da Estação Espacial Internacional (ISS), onde atracou em 15 de junho .
“O quarto Veículo de Transferência Automática (ATV) da ESA, batizado Albert Einstein, concluiu a sua missão de cinco meses junto a Estação Espacial Internacional (ISS). Hoje fez sua reentrada na atmosfera e se desintegrou como planejado em uma área desabitada do Pacífico Sul”, informou a ESA em um comunicado.
“Albert Einstein realizou uma série de manobras delicadas para que os astronautas pudessem ver o seu descolamento nas camadas superiores da atmosfera, o que fornecerá dados únicos sobre fenômenos de reentrada atmosférica”, indica o comunicado. Ele acrescenta que “o ATV-4 e seus restos se desintegraram com segurança na atmosfera em 2 de novembro às 12h04 UT”.
“A missão foi realizada com perfeição o que, como em qualquer missão espacial, representa um enorme sucesso para toda a equipe ATV”, afirmou Alberto Novelli, chefe da missão ATV-4, citado pela ESA. “A conclusão bem-sucedida desta quarta missão reflete a maturidade do programa de ATV e este novo sucesso abre o caminho para futuros projetos da ESA”, acrescentou .
As manobras do cargueiro europeu no espaço foram supervisionadas pelo centro de controle, com sede em Toulouse (França), e gerido conjuntamente pela ESA e CNES. Lançado em 5 de junho por um foguete Ariane 5 a partir de Kourou (Guiana Francesa), ATV-4 transportou para a ISS uma carga de cerca de 7 toneladas de suprimentos (água , combustível, alimentos, equipamentos diversos) destinada aos astronautas que se revesam no posto desde 2000.
Com um peso total de 20,2 toneladas, foi a carga mais pesada já enviada pela Europa ao espaço.
Cheio de todos os resíduos não perigosos gerados a bordo da estação espacial, o cargueiro finalmente se desintegrou na atmosfera, sob o efeito combinado do aquecimento devido à velocidade e pressão.
Três ATV tiveram o mesmo destino: Jules Verne, lançado em 2008 , Johannes Kepler, em 2011, e Edoardo Amaldi , em 2012. ATV-4 Albert Einstein completou a sua missão com um recorde: deixou a ISS com a maior quantidade de lixo já carregado a bordo de uma nave. O próximo veículo, o mais novo de uma série de cinco , em homenagem ao físico belga Georges Lemaître, será lançado em meados de 2014 .
Fonte - Diário de Pernambuco  02/11/2013


Apagador transforma pó da lousa em novos bastões de giz

Tecnologia

CicloVivo

Um novo dispositivo criado por uma dupla de designers converte o pó do giz dos quadros negros em um novo bastão. O equipamento, desenvolvido para as salas de aula, é um híbrido entre apagador e aspirador, que, depois de limpar a lousa, armazena os resíduos de giz, e, com um pouco de água, consegue dar formato a um novo cilindro num curto período de tempo.
Batizado de Chalkeeper, o objeto foi criado por Yonggu Do e Eunha Seo, e não só estimula o reaproveitamento do resíduo, como também reduz a poluição do ar nas salas de aula, o que evita crises alérgicas e até diminui problemas respiratórios entre alunos, professores e outros funcionários. A imagem abaixo descreve o funcionamento do dispositivo:
Além de ser usado como apagador nas lousas, o dispositivo também retira os resíduos de outras superfícies – como paredes, objetos e roupas – colaborando para a limpeza das salas de aula e reduzindo o consumo de água para lavar os ambientes e as peças do vestuário.
O Chalkeeper chegou a ser chamado de “apagador mágico”, e, quando acumula uma quantidade suficiente de resíduos de sulfato de cálcio, depende apenas de um pouco de água e calor, elementos que provocam reações químicas capazes de transformar o dispositivo num tipo de fábrica portátil de giz. Desenvolvido em 2011, o produto ainda é conceitual e não tem previsão de ser comercializado.
Fonte - Revista Amazônia  04/10/2013


Equipe franco-alemã diz ter descoberto a célula solar mais eficiente do mundo

Energia

EcoD

Cientistas franco-alemães lançaram na quarta-feira, 25 de setembro, células solares com eficiência energética de 44,7%, número superior a das células solares fotovoltaicas convencionais (33,7%), baseadas em silício, informou o site Inhabitat.
A equipe responsável pela inovação é composta com cientistas do Instituto Fraunhofer para Sistemas de Energia Solar, Soitec, CEA-Leti e o Centro Helmholtz. Segundo os pesquisadores, a inovação é a mais eficiente do mundo.
A Soitec pretende atingir a meta de 50% de eficiência energética até 2015. Esse trabalho iniciou há cerca de três anos e apresenta constante evolução. Em maio, a organização apresentou um célula com eficiência de 43,6%, antes de atingir o registro mais recente.
Ainda de acordo com Soitec, as chamadas "células solares em junções múltiplas III-V" foram originalmente desenvolvidas para uso no espaço, mas também podem ser utilizadas ​em sistemas fotovoltaicos concentradores (FCPs)" - tecnologia que atinge mais do que o dobro da eficiência de usinas fotovoltaicas convencionais, segundo o Soitec.
Fonte - Revista Amazônia  27/09/2013


Empresa que lançará foguetes de Alcântara receberá R$ 33,3 milhões

Tecnologia

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Brasília - Publicado hoje (26) no Diário Oficial da União decreto em que o governo federal autoriza a transferência de R$ 33,33 bilhões para o aumento de capital social da empresa binacional Alcântara Cyclone Space. Parceiro do empreendimento – que tem o objetivo de desenvolver tecnologia espacial para lançamento do foguete Cyclone-4 a partir da Base de Alcântara, no Maranhão – o governo da Ucrânia depositará igual valor.
O foguete Cyclone-4 está sendo construído na Ucrânia, por meio de acordo de cooperação tecnológica assinado em 2003. Segundo a Agência Espacial Brasileira, o investimento inicial para a criação da binacional era US$ 105 milhões. Em junho de 2008, durante reunião do Conselho de Administração da Alcântara Cyclone Space na Ucrânia, decidiu-se por aumentar o capital da empresa para US$ 375 milhões.
Criada em 2007, a Alcântara Cyclone Space vai explorar, em bases comerciais, os serviços de lançamentos do foguete, para colocar satélites em órbita.
Fonte - Agência Brasil  26/08/2013

Rússia e Ucrânia se unem para produzir o maior avião cargueiro em escala industrial

Tecnologia

Fabricação do An-124 dará impulso à cooperação russo-ucraniana na área da aviação

Diário da Russia
foto - ilustração
Rússia e Ucrânia chegaram a um acordo para criar um empreendimento conjunto destinado à produção do lendário avião cargueiro Antonov An-124-100 Ruslan, a maior aeronave de carga produzida em escala industrial em todo o mundo.
A notícia foi divulgada pelo serviço de imprensa do Governo ucraniano nesta quarta-feira, 17, citando como fonte o vice-primeiro-ministro do país, Yuri Boiko. A decisão sobre a criação da joint venture russo-ucraniana foi tomada durante o encontro dos primeiros-ministros dos dois países na sexta-feira, 12, em Sochi.O Antonov An-124-100 Ruslan, que será agora produzido numa joint venture russo-ucraniana
Segundo Yuri Boiko, o An-124 é uma aeronave única, cuja produção conjunta dará impulso ao futuro desenvolvimento da cooperação russo-ucraniana na área da aviação. De acordo com Boiko, a criação do novo empreendimento será formalizada já em setembro deste ano, durante uma reunião do Comitê Russo-Ucraniano de Cooperação Econômica.
Boiko explicou que a Ucrânia agregará à parceria a base tecnológica e o componente da inovação, enquanto a Rússia entrará com o financiamento e o mercado consumidor. O local e os prazos para a produção dos novos An-124 ainda não foram revelados.
O Antonov An-124 Ruslan foi durante um longo período o maior avião do mundo, isto antes da chegada do An-225, desenvolvido a partir dele e com o objetivo de transportar o ônibus espacial soviético Buran. Atualmente o An-124 é o segundo maior avião cargueiro do mundo, mas ainda é o maior avião de carga já feito em escala industrial.
Desenvolvido inicialmente como um cargueiro militar, ainda no final dos anos 1970, pelo escritório de construção do engenheiro russo Oleg Antonov, o primeiro protótipo do An-124 voou em dezembro de 1982.
Dentre as características mais notáveis desta aeronave, além do seu porte de carga de mais de 120 toneladas, estão o seu nariz (que serve de porta de proa para o compartimento de carga), as portas do compartimento de carga de cauda e 24 rodas permitindo operações de pouso em asfalto, terra, grama e neve.
A produção do An-124 foi encerrada há alguns anos, e atualmente existem cerca de quarenta unidades em serviço na Rússia, Ucrânia, Líbia e Emirados Árabes Unidos, entre outros países.
Fonte - Diário da Russia 17/07/2013


Grafeno pode aumentar em 100 vezes velocidade da Internet

Tecnologia

Enviado por mario.bentes
Com informações do Phys.org

Pesquisadores do departamento de Física das Universidades de Bath e de Exeter anunciaram que testes feitos com grafeno para a criação de cabos de telecomunicações resultaram em velocidades de resposta de dados que chegam a ser cem vezes maiores do que os sistemas atuais. A pesquisa com os resultados que podem revolucionar as telecomunicações e o acesso à internet, foram publicadas na revista científica Physical Review Letters.
O grafeno é uma folha feita de átomos de carbono, com apenas um átomo de espessura – resultado dos avanços no campo da nanotecnologia. Apesar de extremamente fino, o grafeno é muito forte. De acordo com os cientistas, seria necessário um elefante, equilibrado sobre um lápis, para romper uma única folha. A resistência não impede que o material seja, ao mesmo tempo, leve, flexível e altamente condutor de calor.
A estrutura atual de transmissão de dados em todo o mundo é formada por dispositivos como fibras ópticas e lasers, além de fotodetectores. Os sinais são enviados por fótons com comprimentos de onda infravermelhos e processados por interruptores ópticos, que, por sua vez, convertem os sinais em uma série de impulsos de luz. Toda essa rede, segundo os pesquisadores, responde à taxa de alguns picossegundos – o equivalente a um trilionésimo de segundo.

Múltiplas aplicações
As pesquisas mostraram que interruptores óticos que usam camadas de grafeno ampliam a capacidade de resposta “em cerca de uma centena de femtosegundos”, valor pelo menos cem vezes mais rápido do que os materiais atuais. “Usando algumas camadas de grafeno, vimos uma taxa de resposta ótica ultrarrápida, que tem aplicações interessantes para o desenvolvimento de componentes óptico-eletrônicos de alta velocidade baseados em grafeno. Essa resposta rápida ocorre na parte infravermelha do espectro eletromagnético, no qual muitas aplicações podem ser feitas para medicina, telecomunicações e segurança”, afirma o pesquisador Enrico Da Como.
“Quanto mais descobrimos sobre o grafeno, mais notáveis suas propriedades parecem ser. Essa pesquisa mostra que o material também possui propriedades ópticas únicas, que poderiam encontrar novas aplicações importantes”, complementa o professor Simon Bending, também da universidade.
Os pesquisadores acreditam que, no longo prazo, o estudo também poderia levar ao desenvolvimento de lasers de “cascata quântica”, feitos a partir de grafeno. Esse tipo de equipamento é um potente semicondutor utilizado não só para monitorar índices de poluição, como também tem aplicações em questões envolvendo segurança e até espectroscopia.
Fonte - Da Redação Jornal GGN 12/07/2013


Displair nova tecnologia de telas interativas 




Pela primeira vez, o nome Displair foi anunciado no final de julho de 2010, logo após "Seliger" 2010, onde o seu criador, Maxim Kamanin, apresentou o projeto.Displair é um ecrã (Tela) de ar (projeção) interativo que projeta no ar qualquer imagem que quiser. O dispositivo é controlado por um sistema ótico, multi-toque, que permite controlar a imagem no ar só com gestos, sem marcadores, luvas ou outro equipamento especial.






Vídeo sobre o autor do projeto

Vibração do trilho do trem pode gerar energia

São Paulo Trem Jeito
Dois estudantes de engenharia da Universidade de Stony Brook, nos Estados Unidos, descobriram que é possível aproveitar a vibração dos trilhos de trens para gerar energia. O projeto pode ajudar a reduzir as emissões de três mil toneladas de gás carbônico durante o ano. Teng Lin e John Wang acreditam que a invenção pode aproveitar 200 watts de energia elétrica a partir de desvios de trem, induzidas para alimentar dispositivos elétricos instalados na via. O sistema dos estudantes muda a vibração dos captadores e os torna mais seguros e eficientes. Assim, é possível converter até 70% do potencial bruto da estrutura. Lei Zuo, o orientador do grupo acredita que o sistema pode proporcionar uma economia de mais de US$ 10 milhões nos custos de fornecimento de energia às ferrovias do estado de Nova York e de US$ 500 mil na produção energética para este fim. Isso é possível porque os Estados Unidos tem um bom campo para aplicação do sistema. Atualmente, o país tem mais de 225 mil quilômetros de ferrovias espalhados por todo o seu território. O projeto foi reconhecido como a “Melhor aplicação de captação de energia” em uma conferência realizada em Washington, EUA. Exame Info – Vanessa Daraya
Fonte - São Paulo Trem Jeito 08/12/2012


Maquina Monstruosa geradora de energia solar

Gizmodo

Conheça a primeira usina solar que gera eletricidade durante a noite A crítica mais óbvia da energia solar é de que ela não funciona muito bem quando o sol se põe. A nova usina heliostática Gemasolar não tem esse problema, graças a um barril de sal fundido que a faz funcionar por 15 horas no escuro. Mais de 2.600 espelhos dispostos de forma concêntrica na instalação do Gemasolar, em Sevilla, na Espanha, concentram a energia solar, enviando-a para um barril central com nitrato de sódio e nitrato de potássio, que são fundidos. Quando os raios convergem, eles superaquecem o sal a mais de 900 graus Celsius, fazendo com que a água ao redor do tanque ferva e mova as turbinas de vapor. Além disso, qualquer calor gerado além do necessário durante o dia é guardado junto com o sal em estado líquido. Funciona como uma gigantesca bateria térmica para mover as turbinas durante a noite e durante os dias de chuva — por até 15 horas sem nenhum raio de sol. No entanto, a região de Sevilla é uma das mais ensolaradas da Europa, então imaginamos que isso não acontecerá com muita frequência.  A usina Gemasolar, que custou 230 milhões de Euros, acaba de abrir e tem potencial de gerar 20 megawatts, apesar de estar funcionando ainda abaixo de sua capacidade (a expectativa é que ela atinja 70% da capacidade em 2012.) Trata-se da maior estação de energia solar do tipo na Europa, e tem produção anual total de cerca de 110 GWh/ano — o suficiente para alimentar 25 mil casas e reduzir o impacto atmosférico das emissões de CO2 em mais de 30 mil toneladas por ano. A combinação de armazenamento de energia termal e temperatura ensolarada garante que a usina Gemasolar opere por pelo menos 6.500 horas por ano, até três vezes mais do que outras usinas de energia renovável.


Fonte - GIZMODO US 09/11/2012


Robô da NASA encontra provas de um antigo curso de água em Marte

Ciência

O robô Curiosity, enviado pela NASA a Marte, encontrou provas detalhadas da existência de uma antigo curso de água na área em que aterrou e está a explorar. Imagens captadas pela Curiosity mostram seixos típicos de cursos de água (NASA)

Por PÚBLICO 
Imagens captadas pela Curiosity mostram seixos típicos de cursos de água
Imagens captadas pelo Curiosity mostram seixos incrustrados em camadas de rocha, possivelmente transportados por um curso de água. “Pelo seu tamanho, calculamos que a água se movia a cerca de um metro por segundo, com uma profundidade até à altura do tornozelo ou da anca”, disse William Dietrich, da Universidade de Berkeley, na Califórnia, um dos investigadores ligados à missão do Curiosity. Marte tem depósitos de água cogelada nos pólos. Há muitas provas, também, da existência passada de água em forma líquida no planeta vermelho. Mas estas, agora, são de natureza diferente. “É a primeira vez que estamos de facto a ver seixos transportados pela água em Marte. É uma transição entre a especulação sobre o tamanho dos materiais dos leitos dos rios e a sua observação directa”, diz Dietrich, citado num comunicado da NASA. As pedras variam de tamanho, entre o de um grão de areia ao de uma bola de golfe. A maioria é arredondada. “As formas indicam que foram transportadas e o tamanho indica que não podem ter sido transportadas pelo vento”, diz Rebecca Williams, do Instituto de Ciência Planetária de Tucson, no Arizona, também citada no comunicado. A robô Curiosity é um complexo laboratório científico, capaz de se deslocar com mais facilidade sobre a superfície de Marte, recolher e analisar amostras e obter imagens mais detalhadas do planeta. Foi lançado no espaço a 26 de Novembro passado e aterrou em Marte a 6 de Agosto. A sua missão principal é investigar se o planeta teve condições para a existência de vida microbiana.Fonte - http://www.publico.pt  28/09/2012

Estratégia internacional da Universidade de Lyon tem foco em São Paulo

Fábio de Castro - Fapesp

Representantes de universidades e lideranças locais da região metropolitana de Lyon (França) visitaram a FAPESP, nesta terça-feira (05/06), a fim de discutir possibilidades de estabelecimento de futuros acordos de cooperação em pesquisa entre a Fundação e as instituições francesas. O grupo, liderado pelo reitor da Universidade de Lyon 3, Jacques Comby, foi recebido pelo presidente da FAPESP, Celso Lafer, pelo diretor científico da Fundação, Carlos Henrique de Brito Cruz, e por Fernando Dias Menezes de Almeida, assessor da presidência. A comitiva incluiu representantes da prefeitura de Lyon, da Universidade Lyon 3, do Instituto Nacional de Ciências Aplicadas (Insa) de Lyon, da Escola Nacional de Serviços Públicos do Estado (Entpe) e da Escola Nacional Superior (ENS). Segundo Comby, o grupo representa todas as unidades da Universidade de Lyon e a visita foi idealizada com o objetivo de estabelecer um primeiro contato, a fim de compreender o funcionamento das modalidades de apoio à pesquisa da FAPESP. “O resultado do encontro foi muito promissor. Estamos otimistas, acreditamos que há espaço para estabelecer diferentes tipos de acordos de cooperação, no futuro, entre a FAPESP e os vários estabelecimentos que compõem a Universidade de Lyon”, disse Comby à Agência FAPESP. Segundo Comby, as várias unidades da Universidade de Lyon já têm relações estabelecidas com as universidades brasileiras, em particular com as de São Paulo, mas há interesse em aprofundar e estreitar esses laços. “São Paulo é um local estratégico de desenvolvimento de nossas relações internacionais com o Brasil. Buscamos parcerias que envolvam o intercâmbio de estudantes e pesquisadores, além de chamadas de propostas para projetos específicos”, disse. “Queremos reforçar as relações com a academia brasileira com colaborações internacionais construídas diretamente com as universidades, mas também queremos contar com a FAPESP”, afirmou. Durante a visita, Brito Cruz apresentou à comitiva francesa uma breve exposição sobre as modalidades de fomento à pesquisa da FAPESP, descreveu o perfil dos acordos de cooperação vigentes e esclareceu dúvidas sobre as principais linhas de apoio e os critérios de avaliação de propostas de projetos. De acordo com Comby, a Universidade de Lyon tem a intenção de explorar a afinidade existente entre as comunidades científicas dos dois países. “Temos uma grande admiração pela explosão científica e econômica do Brasil, que é hoje um parceiro incontornável. Há também uma grande facilidade cultural, porque a França é um país latino com muita identificação com o Brasil”, disse. “Trabalhamos juntos muito bem, com muito rigor, mas também uma certa cordialidade. Para os estudantes franceses em geral, o Brasil é um país muito atraente”, afirmou. Uma possibilidade levantada durante a reunião para iniciar possíveis parcerias, segundo Comby, seria o financiamento inicial de workshops voltados para alavancar a relação de cooperação entre instituições dos dois países. “Acreditamos ter diversos campos específicos de interesse mútuo. Queremos aprofundar a cooperação especialmente em campos como a engenharia, o direito, a biologia e as ciências sociais. Temos também a intenção de estimular projetos de pesquisa relacionados a questões importantes para a sociedade, como, por exemplo, o tema das cidades sustentáveis do futuro”, disse Comby. A Universidade de Lyon lidera o programa Inteligência do Mundo Urbano, um laboratório de excelência em pesquisa sobre questões urbanas, que conta com considerável financiamento internacional. “Gostaríamos de ter colegas brasileiros integrados a esse laboratório. A questão da cidade sustentável é um tema trabalhado de forma interdisciplinar, do ponto de vista econômico, de análise social, política e histórica, com abordagens da geografia e de ciências exatas – de engenharia e tecnologia especialmente. É uma área de atuação importante para muitos pesquisadores dos dois países”, disse. Comby contou ainda que serão discutidas possíveis formas de intercâmbios bilaterais específicos entre escolas de engenharia de Lyon e São Paulo e de integração de grandes programas. “Queremos desenvolver cooperação em todas as escalas, partindo do que já existe atualmente”, disse.
Fonte -  Agência FAPESP

 Projeto de Bicicleta voadora 

O estudo foi apresentado nesta quinta-feira (24) em Praga, na República Tcheca. O protótipo tem 3,5 m de comprimento e 1,2 m de altura, e suportará até 170 kg. O modelo real da invenção será apresentado em setembro deste ano.

Prédio histórico de mais de seis mil toneladas  muda de lugar na Suíça

Os engenheiros começaram o trabalho há um ano. Depois de colocada sobre trilhos, a estrutura de 12 m de largura, 80 m de comprimento e mais de seis mil toneladas deve demorar dois dias para ser movida do lugar. Ela será coloca a 60 metros a oeste da localização atual, que dará lugar à expansão da linha ferroviária.

Série Vida no Gelo -JR 

Os brasileiros fizeram sucesso no país gelado; um criou braços biônicos e um aparelho para devolver movimentos a quem não pode andar. E o outro é um rapper conhecido no Canadá que espera tocar aqui, no Brasil. Acompanhe!


Empresa holandesa lança carro voador

Uma companhia holandesa está lançando um veículo que pode ser conduzido por terra ou pilotado no ar.

foto - ilustração
O veículo pessoal aéreo e terrestre, batizado de PAL-V,pode ser tanto usado como um veículo nas estradas com suas três rodas ou nos ares,como um girocóptero.
Para que o PAL-V decole, ele precisa apenas de uma pista de 165 metros.
Robert Dingemanse, o presidente-executivo da companhia responsável pelo carro voador - que também se chama PAL-V - disse que companhias privadas já manifestaram interesse em comercializar o invento.
Mas ele afirma acreditar que os mais prováveis clientes do aeromóvel deverão ser militares e serviços de emergência.

Opel exibe carro elétrico ecológico 

Blog Amazônia

A Opel, uma montadora alemã de automóveis, apresentou o Rak E. O carro, feito em parceria com a agência de design Kiksa, faz parte de um projeto de carro elétrico com baixo custo de produção.
Com visual futurista e bem ousado, o novo modelo conceitual da Opel deve ser feito com materiais sintéticos e reciclados sob uma estrutura de aço. Ele também teria um terço do peso usual de carros contemporâneos e uma bateria com autonomia de 98 km.O veículo não emite poluente e possui apenas dois lugares. O formato vanguardista do Rak E foi inspirado em aviões. Ele tem como objetivo garantir a agilidade em trânsito equivalente a uma moto e o conforto e segurança de um carro. A configuração do carro garante melhor desempenho aerodinâmico e eficiência energética.
O motor de 48 cavalos de potência é elétrico. Para completar a carga da bateria, basta carregá-lo por três horas. O carro é capaz de atingir a velocidade máxima de 120 km/h em menos de 13 segundos.A cobertura combina as funções de teto e para-brisa, e oferece uma vista de 270 graus. O volante muda de posição automaticamente quando a cobertura é aberta. Além disso, há como configurar o carro para operar em velocidade máxima de 45 km/h.
Além de um cockpit na área onde o motorista e o carona ficam acomodados, o carro também conta com rodas proeminentes na parte traseira e fácil acesso à região de suspensão, bem como do motor do carro.Por ser um projeto futurista, o Rak E também pode trazer informações ao motorista por meio de uma tela localizada no painel do veículo. Também faria uso de volantes, item excluído em carros do mesmo estilo, que optam por um joystick em formato manche. Ainda não há previsão de lançamento do Rak E.
Fonte - Blog Amazônia 24/01/2012

Empresa chinesa constrói hotel de 30 andares em apenas 15 dias

De cima para baixo: prédio com sistema construtivo invertido reduz impacto ambiental  
   













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"